Arquivo

Archive for the ‘Pra Refletir’ Category

Quando me amei de verdade

Quando me amei de verdade

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome…Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é…Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é…Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… Saber viver!!!

<Charlie Chaplin>

Anúncios
Categorias:Pra Refletir

A Fábula do Porco-Espinho

A Fábula do Porco-Espinho

Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente. Mas, os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam maior calor.

Por isso decidiram afastar-se uns dos outros e voltaram a morrer congelados. Então precisavam fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.

Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro. E assim sobreviveram!

O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde
cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades.
Direto do www.malvadas.org passa lá 😀
Categorias:Pra Refletir

Vale a pena ler…

Espero que essa história chegue ao seu coração, tanto como chegou ao
meu… mas vá até o fim da historia! =D

Um homem jovem estava fazendo compras no supermercado, quando notou que
uma velhinha o seguia por todos os lados.

Se ele parava, ela parava e ficava olhando para ele.

No fim, já no caixa, ela se atreveu a falar com ele, dizendo:

– Espero que não o tenha feito se sentir incomodado; mas é que você se
parece muito com meu filho que faleceu.

O jovem, com um nó na garganta, respondeu que tudo estava bem, que não
havia problema.

A velhinha lhe disse, então: – Quero lhe pedir algo incomum.

O jovem lhe respondeu: – Diga-me, em que posso ajudá-la?

– Queria que você me dissesse ‘Adeus, Mamãe’, quando eu me for do
supermercado, isso me fará muito feliz!

O jovem, sabendo que seria um gesto que encheria o coração da velhinha,
aceitou.

Então, a velhinha passou pela caixa. Aí, se voltou sorrindo e, agitando
sua mão, disse: ‘Adeus, filho!’

Ele, cheio de amor e ternura, lhe respondeu efusivamente: ‘Adeus,
mamãe!’

Ela se foi e o homem ficou satisfeito pois, com certeza, havia dado um
pouco de alegria à velhinha.

E, então, passou suas compras.

– São R$ 554,00, lhe disse a moça do caixa.

– Por que,  se só levo estes cinco produtos?

E a moça do caixa lhe disse:

– Sim, mas sua mamãe disse que você pagaria pelas compras dela também…

Moral da história: Até os canalhas envelhecem!

Categorias:Pra Refletir

Pra Refletir um pouco

verdadessss

eu mesmo espero conquistar a minha certinha e fazer nosso relacionamento um dos melhores para nós dois 😀

Categorias:Pra Refletir

ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?

ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?

O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em
um copo de água e bebesse
-‘Qual é o gosto?’ – perguntou o Mestre.
-‘Ruim’ – disse o aprendiz.
O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e
levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago. Então o velho
disse:
-‘Beba um pouco dessa água’.Enquanto a água escorria do queixo do jovem o
Mestre perguntou:
-‘Qual é o gosto?’
-‘Bom! disse o rapaz.’
-‘Você sente o gosto do sal?’ perguntou o Mestre.’
-‘Não disse o jovem.’
O Mestre então sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
-‘A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde
a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é
aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta.
É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu. Em outras
palavras:
É deixar de Ser copo, para tornar-se um Lago.’

“Entender a vontade de Deus nem sempre é facil, mas crer que Ele está no
comando e tem um plano pra nossa vida faz a caminhada valer a pena!”.

Categorias:Pra Refletir

Olha que exemplo legal!!!


//

João e Mané

João era um importante empresário. Morava em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade. Naquele dia, João deu um longo beijo em sua amada e fez em silêncio a sua oração matinal de agradecimento a Deus por sua vida, seu trabalho e suas realizações. Após tomar café com a esposa e os filhos, João levou-os ao colégio e se dirigiu a uma de suas empresas.
Chegando lá, cumprimentou com um sorriso os funcionários, inclusive Dona Teresa, a faxineira. Tinha ele inúmeros contratos para assinar, decisões para tomar, reuniões com vários departamentos da empresa,contatos com fornecedores e clientes, mas a primeira coisa que disse para sua secretária foi:

“Calma, faça uma coisa de cada vez, sem stress” (EU QUERO ESTE CHEFE!!!!!).

Ao chegar a hora do almoço, ele foi para casa curtir a família. A tarde tomou conhecimento que o faturamento do mês superou os objetivos e mandou anunciar que todos os funcionários teriam gratificações salariais no mês seguinte.

Apesar da sua calma, ou talvez, por causa dela, conseguiu resolver tudo que estava agendado para aquele dia.

Como já era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar e depois foi dar uma palestra para estudantes, sobre motivação para vencer na vida.

Enquanto isso, no bairro mais pobre de outra capital, vive Manoel, ou Mané, como era mais conhecido. Como fazia em todas as sextas-feiras, Mané foi para o bar jogar sinuca e beber com amigos. Já chegou lá nervoso, pois estava desempregado. Um amigo seu tinha lhe oferecido uma vaga em sua oficina como auxiliar de mecânico, mas ele recusou, alegando não gostar do tipo de trabalho.
Mané não tinha filhos e estava também sem uma companheira, pois sua terceira mulher partiu dias antes dizendo que estava cansada de ser espancada e de viver com um inútil.

Ele estava morando de favor, num quarto imundo no porão de uma casa. Naquele dia, Mané bebeu mais algumas, jogou, bebeu, jogou e bebeu até o dono do bar pedir para ele ir embora. Ele pediu para pendurar a sua conta, mas seu crédito havia acabado, então armou uma tremenda confusão…e o dono do bar o colocou pra fora.

Sentado na calçada, Mané chorava pensando no que havia se tornado sua vida, quando seu único amigo, o mecânico, apareceu e, após levá-lo para casa e curando um pouco o porre, perguntou a Mané:

-“Diga-me por favor, o que fez com que você chegasse até o fundo do poço desta maneira?”

Mané então desabafou:

-“A minha família…
Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma ‘vida miserável. Quando minha mãe morreu doente, por falta de condições, eu saí de casa, revoltado com a vida e com o mundo. Tinha um irmão gêmeo, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma”.

Enquanto isso, na outra capital, João terminava sua palestra para estudante s. Já estava se despedindo quando um aluno ergueu o braço e lhe fez a seguinte pergunta:

-“Diga-me por favor, o que fez com que o senhor chegasse até onde está hoje, um grande empresário e um grande ser humano?”

João emocionado, respondeu:

-“A minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum, tínhamos uma vida miserável. Quando minha mãe morreu, por falta de condições, eu saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família. Tinha um irmão gêmeo, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma”.

Moral da história:

O que aconteceu com você até agora, não é o que vai definir o seu futuro, e sim a maneira como você vai reagir a tudo que aconteceu. Sua vida pode ser diferente, não se lamente pelo passado, construa você mesmo o seu futuro, mas sempre segurando na mão de DEUS. Encare tudo como uma lição de vida, aprenda com seus erros e até mesmo com o erro dos outros.
O que aconteceu é o menos importante. O que realmente importa é o que você vai fazer com o que acontecer.

“Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é conseqüência.”
(Albert Einstein)

Categorias:Pra Refletir

Bate papo

1238419020250éé isso acontece mesmo na vida real 😀

Categorias:Imagens, Pra Refletir